As mulheres dominaram a culpa. Agora, vamos dominar a Felicidade!

Recentemente celebramos o Dia Internacional da Mulher. Foi um dia maravilhoso para refletir sobre tudo o que as mulheres realizaram ao longo dos últimos cem anos – ganhando o direito de votar, graduando-se nas universidades em números iguais aos homens e contestando os estereótipos da era do homem sobre aquilo que uma mulher não deveria e não poderia realizar na vida ou na carreira profissional.

No entanto, há muito mais progresso a ser feito. Ainda existem muitas lacunas bem reais de gênero. Eu não estou apenas falando sobre a diferença em remuneração salarial, do espaço em cargos de chefia, ou até mesmo a cadeira vazia na diretoria da empresa. Quero enfatizar uma lacuna que muitas vezes é negligenciada: a lacuna da felicidade.

Estudos e pesquisas

De acordo com dados oficiais, nos últimos 40 anos, a felicidade das mulheres sofreu declínio. Isso acontece desde 1972, ano em que muitos governos, incluindo o dos EUA começaram a colecionar esses dados constatando oficialmente que a felicidade das mulheres diminuiu.

Para os homens, no entanto, a felicidade está em ascensão. Mas por que isso? Por que os resultados indicam que os homens estão mais felizes do que as mulheres? Se as mulheres estão alcançando acesso a um patamar de igualdade e oportunidades, a felicidade feminina deveria aumentar, e não declinar?

A solução acontece somente após a identificação

Isso é o que eu acho que está acontecendo: Hoje em dia, as mulheres têm mais opções do que nunca. Podemos seguir uma gama bem mais ampla de carreiras. Podemos começar nossos próprios negócios, e um número cada vez maior de nós está fazendo exatamente isso. Nós podemos trabalhar em casa, fora da casa, ou um pouco em ambos. Algumas famílias têm a sorte de ser capazes de suportar uma família com uma única renda e podem fazer a escolha entre seguir uma carreira tradicional ou ficar em casa para criar uma família.

A possibilidade de maior quantidade de escolhas para as mulheres hoje em dia é uma coisa boa. Mas, à medida que nossas opções aumentam, crescem também as possibilidades através das quais as mulheres podem falhar ou não serem capazes de superar um determinado obstáculo. As mulheres sentem uma pressão para “alcançar tudo” – seguir uma carreira e cuidar da família com igual fervor em todos os momentos.

Por isso, então, tememos que não estejamos fazendo bem nenhuma das duas atribuições e nos preocupamos com os julgamentos dos outros. Se as mulheres caírem na armadilha de tentar agradar a todas as pessoas o tempo todo, ou sentirem culpadas por ambas as escolhas que estão fazendo e as escolhas que elas não estão fazendo, então a felicidade vai continuar longe do nosso alcance.

Uma saída do turbilhão de emoções e sentimentos…

As mulheres já dominaram a sensação de culpa. Agora, precisamos dominar a sensação de felicidade! Trabalhar fora e ser mãe ao mesmo tempo foram coisas difíceis quando eu vivia lutando contra eu mesma e o constante sentimento de culpa. Desistir da culpa foi um passo crítico na jornada para encontrar a minha própria definição de sucesso.

As mulheres devem encontrar seus objetivos extraordinários para inspirar as pessoas a fazer exatamente isso: definir e alcançar sua própria versão de sucesso e felicidade, ao invés de perseguir alguma versão já pronta do sonho de outra pessoa. Eu acredito que a felicidade não é um subproduto do sucesso – a felicidade é o sucesso, completo!

Mas, como você inicia um projeto desse tipo? Bem, para começar, não tente ter tudo. Em vez disso, esforce-se para ter o que mais interessa para você, e apenas o que você está disposta a trabalhar consistentemente para alcançar. Somente você pode definir seu sucesso. Não diminua a sua alegria desejando a vida que outras pessoas escolheram, mas que não se alinha com o que você realmente quer.

Segundo, faça a escolha de não julgar as escolhas de outras mulheres – ou as suas próprias escolhas. Para aumentar a felicidade, precisamos nos comprometer a eliminar a culpa e o julgamento das nossas mentes. Só então a felicidade pode florescer – e só então podemos trabalhar juntas para preencher todas as lacunas de gênero que ainda existem no mundo de hoje!

Em uma mulher completa e feliz

Deixe um comentário